Adoção de Cães - 10 dicas para evitar incômodos


Adoção ou doação de cachorros

Adotar cachorro deveria ser uma coisa muito simples. No entanto, às vezes as pessoas podem se arrepender por causa de alguns problemas fáceis de resolver. 

Por isso, principalmente se o cachorro adotado for um cão adulto ou já idoso, precisamos ter em mente algumas coisas importantes.

Adoção de cães adultos


A idade mais avançada pode motivar alguns momentos de estresse, visto que o cachorro maduro traz consigo alguns vícios e, pior ainda, algumas fobias.



É necessário saber como lidar com o animal adulto, que cresceu nas ruas ou que pertencia a outra família. Muitas vezes ele pode demonstrar muita hostilidade ou timidez, e isso precisa ser observado.


Adoção de filhotes

Por outro lado, a adoção de cães novos, ainda filhotinhos, apesar de possibilitar a criação de um vínculo maior entre o dono e seu companheiro, pode levar a algumas situações difíceis.

Se o cachorrinho não tiver uma raça definida, e se seus pais forem desconhecidos, fica difícil dizer qual o seu temperamento e até que tamanho irá crescer.


Veja 5 dicas para adoção de cães adultos:

1) Cachorros mais velhos, ou adultos recolhidos de abrigos públicos ou doados em feiras de adoção, podem representar às vezes alguns riscos. É bastante aconselhável o adestramento, visto que algumas situações só podem ser corrigidas através dele.

2) Cães adultos nunca devem ser confrontados. A regra é a conquista e não o convencimento.


3) É importante avaliar o que se puder da vida pregressa do cachorro, consultando histórico de doenças e o máximo que for possível verificar acerca de seus pais e donos anteriores.


4) Respeite o tempo do cão. Até que haja a criação de um vínculo é possível que o cachorro não ceda e demore a entregar-se.


5) Mesmo sendo afetivo com o cachorro adotado, mantenha o comportamento de "chefe de matilha". Lembre-se que a disciplina representa um importante papel na vida dos canídeos. 

Leia também: Cama para cachorros (parte I) - 10 dicas importantes


Com relação aos cães mais novos, apresentamos 5 dicas úteis para evitar arrependimentos:

1) Verifique a raça do cachorrinho para evitar surpresas desagradáveis. O espaço em que ele vai viver deve ser proporcional a seu tamanho e capacidade motivacional.

2) Verifique se você tem condições de arcar com as despesas extras de vacinação, desverminação e ração para filhotes. Parece incrível, mas às vezes os donos se arrependem posteriormente quando vêem o tamanho da conta.


3) Estabeleça limites desde cedo. O cachorrinho adora obedecer e agradar a seu dono.


4) Lembre-se: através do tamanho das patinhas é possível estabelecer o porte do cachorro quando adulto. Filhotes com as patinhas mais gordas e grandes tendem a crescer mais. Essa dica é útil principalmente quando não se sabe a raça do cachorro nem se conhecem seus pais.


5) Procure adotar filhotinhos de canis regularizados para evitar a compra ou adoção de cães mal-tratados ou doentes.



Você sabe como descobrir se seu cachorrinho vai ser muito arteiro? 

Desde cedo ele dá dicas de seu comportamento futuro. Se você planeja adotar um cãozinho mais calmo, veja as brincadeiras dele com seus irmãos.


Cães com o temperamento mais ativo brincam pulando ou montando os outros cachorros mais calmos. Também mordem e rasgam os panos da sua caminha.


Latidos excessivos, bagunça da casa e outros problemas

Alguns cães, logo depois de serem adotados, já se sentem tão à vontade que começam logo a bagunçar, destruir, latir ou morder.

Esse tipo de comportamento demonstra que o ambiente que você criou foi tão acolhedor que o animal já se sente em casa.

Logo em seguida, no entanto, é necessário começar a estabelecer limites. Mas, quando lidamos com cachorros adultos, isso não deve ser feito logo no começo, e não devemos ser exigentes demais.

Com o tempo, conseguiremos convencê-lo a se comportar melhor e, principalmente, conquistá-lo.