Conheça a Parvovirose


Como o cachorro pega Parvovirose



Em alguns locais do país estamos em pleno inverno.


Em outras regiões, não existe propriamente um inverno, mas em compensação há uma estação de chuvas fortes e constantes. 



E o que isso tem em comum? O frio e a chuva são ótimos veículos de transporte para o Parvovírus. Vamos aprender, hoje, como tratar a Pavovirose.

A Parvovirose é causada pelo Parvovírus, um vírus com uma grande facilidade de trânsito entre os animais domesticos.

Após o contágio, é muito fácil para o cachorrinho desenvolver a doença. Ainda mais se ela infectar filhotes de cachorro, mais sensíveis.


Parvovirose - como ocorre o contágio


Quando nossos animais de estimação defecam em algum local, eles espalham junto com as fezes uma porção do vírus (se estiverem contaminados). Se um cachorro sadio entrar em contato com elas estará correndo o risco de se infectar.

Não é necessário que o cachorro coma as fezes do outro animal. Basta que ele tenha contato com ela. 

E esse contato pode se dar através de áreas contaminadas que não foram devidamente higienizadas. Por exemplo, ao pisar no local. 

Sabemos que os cachorros lambem regularmente as patas e o resto do corpo. Pois bem, se ele pisou ou se deitou em local contaminado, ele irá contrair o vírus ao se lamber.

A contaminação pode se dar, também, através de brinquedos que ele divida com outros animais de estimação doentes, ou do pote de ração e água.

Qualquer objeto que tenha estado em contato com um animal infectado é veículo de transporte para o vírus.

E não apenas os objetos, mas até mesmo os donos do cão também podem transmitir a doença, se estiveram em contato com ela.

Ao pisar em fezes contaminadas, ou em um local que não foi devidamente higienizado, ou, ainda, no contato do cão doente com as nossas roupas, nós podemos "carregar" o vírus e levá-lo até  o cachorro sadio.

É dessa forma que animais de estimação que têm boa saúde e vivem dentro de apartamentos contraem o vírus. É dessa forma, também, que os filhotes de cachorro, que ainda nem saíram para a rua, entram em contato com a doença.

E, como dissemos lá no começo, a água é outro fator importante na transmissão da doença. Em regiões em que as chuvas causam inundações, é comum acontecerem surtos de Parvovirose que causam grande número de óbitos, pois a água "carrega" o vírus por quilômetros.

Por esse motivo, a Parvovirose é considerada uma doença cujo maior contágio ocorre nos meses frios do ano.


Dicas de higiene para evitar a Parvovirose


Quem tem mais de um cachorro em casa deve tomar cuidados redobrados.

Leia também: Acessórios para cachorro (Parte II)

Por ser de fácil transmissão entre os animais, a Parvovirose é transmitida de um para outro rapidamente.

Higienizar todos os itens que os cãezinhos dividem é uma atitude de extrema importância, assim que for detectada a doença

Além disso, o cachorro doente deve ficar de quarentena, afastado dos outros, enquanto recebe o tratamento.

Toda a área contaminada deve ser limpa com água sanitária. Roupas, brinquedos e o chão. Por esse motivo o cãozinho deve estar separado do resto da casa.


Quais os sintomas da Parvovirose?


Geralmente o cachorro, ao desenvolver a doença, apresenta um quadro de vômito e diarreia. 

A diarreia é bastante líquida e pode ser acompanhada de grandes quantidades de sangue. Outra característica é que cachorros que contraíram a doença evacuam um material muito mal-cheiroso. Essa é, inclusive, uma das formas com que os veterinários reconhecem a doença; através do cheiro.

O vômito, como a diarreia, pode também apresentar sangue. 

Outros sintomas são: 

1) prostração; 

2) falta de apetite;

3) febre.


Parvovirose e filhotes de cachorro


Quando a doença atinge filhotes de cachorro que ainda não tinham completado o ciclo de vacinação, o quadro se mostra bastante grave, pois o bichinho enfraquece rapidamente. 

Quadros em que a evacuação de sangue é constante podem significar uma contaminação séria e já bastante adiantada.

Leia também: Por que maltratamos os animais?

Como na maioria das doenças, quanto mais cedo for tratada, maiores as chances de cura.

Deve-se sempre agir com alguma precaução quando um filhote apresenta qualquer desses sintomas. Não havendo alguma causa direta para febre, diarreia e vômitos, é muito importante verificar o motivo dessas manifestações.

Note-se que não é incomum o filhotinho apresentar esses sintomas. Eles podem ser causados por vacinas, a alimentação e certas formas de estresse. 

Quando recém vacinado, o filhote pode ter diarreia, vômito e febre por algumas horas, melhorando rapidamente. 

Problemas relacionados à alimentação também podem causar vômitos e diarreia; e a exposição ao estresse ou a algo que os deixe ansiosos, pode ser arrolada nesse item. 

É importante monitorar a duração desses sinais, que não devem se prolongar por mais do que um ou dois dias. Caso o quadro se agrave ao invés de melhorar, pode-se esperar que seja algo mais sério.


Como detectar a Parvovirose?


Através do atendimento do animal, e depois de ser informado sobre as sintomatologias, o veterinário pode chegar à conclusão de que se trata do Parvovírus. Além disso, ele pode pedir exames de sangue para confirmar a suspeita.


Parvovirose tem cura?


A resposta é não. Infelizmente não existe cura para a Parvovirose. O único tratamento possível é a eliminação do vírus, e isso apenas os anticorpos do organismo do animal podem fazer.

Quando detectada, a única terapia possível é a de suporte do paciente, isto é, a manutenção da saúde do animal.

Nesse caso, o bichinho pode receber soro enriquecido com vitaminas, antibióticos (para evitar que bactérias oportunistas se aproveitem da baixa imunidade) e remédios para controlar os sintomas, como a febre e os vômitos.

É importante salientar que a saúde geral do cachorrinho vai determinar se ele vai ter forças para combater a doença.

Como o tratamento de suporte tem o objetivo de favorecer seu organismo a combater a enfermidade, eliminando o vírus, nem sempre é possível vencê-la, quando se trata de filhotes e cachorros mais velhos.


5 dicas para evitar a Parvovirose


1) Se você tem um filhotinho, evite o contato dele com outros animais enquanto não tiver completado o ciclo de vacinas. 

A vacina múltipla previne contra a Cinomose e a Parvovirose. O ciclo se completa por volta dos 120 dias (4 meses). 

Durante esse período é muito aconselhável evitar que seu cachorro saia à rua. Caso não seja possível, escolha um local pouco frequentado por outros cachorros para fazer seu passeio.

2) De uma forma geral, a única maneira de evitar a doença é a vacinação. Cães mais velhos, assim como filhotes de cachorro, têm o sistema imunológico mais débil, e facilmente podem ser infectados.

3) Caso saiba de um surto de Parvovirose na sua região, suspenda todo o contato entre seus animais e os da vizinhança.

4) Caso um ou mais animais da sua casa seja infectado, é imprescindível que você os mantenha separados, evitando o contágio entre os cachorros sadios.

5) Como a única forma de vencer a doença é com a ajuda dos anticorpos do seu bichinho, mantê-lo saudável e forte é fator decisivo para enfrentá-la.

Lembre-se, a Parvovirose é uma doença séria e bastante agressiva. Não descuide da saúde do seu cachorrinho.

Até breve!






Artigos relacionados: