Filhotes (Parte II) - Vacinação e desverminação


Ao adquirir um filhote, devemos estar sempre atentos ao calendário de vacinação e à aplicação de vermífugos.

Um cachorro pode ser adquirido através de uma adoção de filhotes, ou da venda de filhotes. Em ambos os casos, o cuidado com a sua saúde é a coisa mais importante em que você deverá pensar.



Antes de pensar em outras coisas, antes mesmo de pensar em mimá-lo, ele deve ser imunizado, evitando, assim, doenças graves.

Neste artigo de hoje, estamos apresentando uma dica de calendário de vacinas e desverminação para seu cachorrinho filhote.


A importância de vacinar o cachorro

Como sempre, tratam-se de dicas simples para que você tenha em mente o que é necessário, e saiba como se preparar.

Cada veterinário tem seu método, e cada região do país tem seu calendário próprio. Algumas doenças são endêmicas, de determinados locais, sendo desnecessária a vacinação, caso você não resida ali.

DICAS PRÁTICAS: CACHORROS QUE MORDEM MUITO

Em outros casos, algumas "cepas" de vírus são encontradas em apenas alguns estados, o que torna a vacina inútil em outros.

Mas, de uma forma geral, todas as imunizações podem transcorrer de forma mais ou menos semelhante à que sugerimos aqui.


Quando devo dar a primeira vacina ao filhote?

Como dissemos em Filhotes - 10 dicas úteis (Parte I), a vacinação deve ser dada depois dos 45 dias.

Até então, o filhote está imunizado através do leite da mãe.

Lógico, para que isso aconteça, é necessário que a mãe tenha sido devidamente vacinada.

Dessa forma, poderá transferir imunoglobulinas (anticorpos) ao filho, enquanto estiver aleitando-o.

Leia também: Aprendendo a passear com o dono

Logo depois do desmame, esses anticorpos contraídos da mãe começam a diminuir, expondo o filhote ao risco de contrair doenças. 

É nesse momento que ele deve receber a primeira dose. Se receber antes, as imunoglobulinas presentes no seu sangue irão combater a vacina, acreditando que ela é o próprio vírus.

Que tipo de vacinas devo dar ao filhote?

O veterinário irá começar pela vacina múltipla. Os tipos existentes são a V8, V10 e V11. Todas elas protegem contra as mesmas doenças:
  • Cinomose
  • Leptospirose canina
  • Coronavirose
  • Parvovirose
  • Hepatite infecciosa canina
  • Adenovirose
  • Parainfluenza canina

O "V" significa vacina. Os números que seguem, significam os tipos de leptospira que essas vacinas combatem.


A vacinação para Leptospirose

Em algumas regiões, existe a predominância de alguns "tipos" de leptospira. Dessa forma, ao consultar o veterinário, ele poderá dizer qual a melhor vacina para a região em que seu cachorrinho irá viver.

Havendo mais tipos de leptospira predominantes naquela área, maior deverá ser a imunização.

O calendário de vacinação deverá ser seguido de acordo com a conveniência acertada durante a consulta com o veterinário. 

Vai depender da região em que se vive, da raça do cachorro, do tipo de atividades que ele vai ter (se vai morar em apartamento, com alguns passeios na rua; se vai morar em uma casa com pátio e outros animais; se vai morar em um sítio, etc).

De qualquer forma, o calendário pode ser semelhante a este:
  • 1a. dose: 45 dias de vida - múltipla (V8, V10 ou V11)
  • 2a. dose: 21 dias depois - múltipla (V8, V10 ou V11)
  • 3a. dose: 21 dias depois - múltipla (V8, V10 ou V11) + antirrábica
Atente para o seguinte: na 3a. dose, além da múltipla e da antirrábica, você deve incluir a vacinação contra as doenças comuns na sua região (tosse dos canis, leishmaniose, giardia e outras).




Converse com o veterinário sobre as doses e os tipos de vacinas.

Lembre-se: as vacinas múltiplas são fortes e podem ocasionar efeitos adversos no filhote, como indisposição, febre, diarreia, apatia e dor.

Algumas vacinas podem até causar choque anafilático no cãozinho. Imunizações contra a Leishmaniose, por exemplo, são especialmente doloridas e seu cachorro pode apresentar desconforto por até 3 dias.


As vacinas corretas

Evite vacinar o cachorrinho contra doenças inexistentes na sua região pois, embora o objetivo seja imunizá-lo, às vezes os efeitos adversos da injeção desaconselham a sua prática. O animal acaba correndo mais riscos ao ser vacinado do que o de contrair realmente a doença.


Quando devo aplicar vermífugo ao filhote?

A primeira dose pode ser feita já aos 30 dias de vida. Reforce com a segunda dose aos 40 dias. A partir daí, e durante o primeiro ano, o reforço pode ser a cada 3 meses.

Leia também: Adoção de cães - 10 dicas para evitar incômodos

Depois disso, você pode reforçar a cada 6 meses. No entanto, dependendo dos hábitos do seu cachorro, da região em que você vive e da presença ou não de áreas de risco perto da sua casa, o reforço deve ser feito a cada 4 meses. Converse com o veterinário a respeito disso.

A desverminação é um processo importante na vida do animalzinho. Parasitas, ao se alojarem, "drenam" o sangue do cachorro, enfraquecendo-o e causando quadros graves de anemia. 

Como saber se meu cachorro adquiriu vermes?

Os sintomas podem incluir diarreia (às vezes com sangue), vômitos, fraqueza, barriga inchada e apatia.

Uma forma fácil de verificar a existência de parasitas é observando as gengivas do cachorrinho. Quando se apresentam mais esbranquiçadas, pálidas, é certo a existência de um quadro de anemia, causada por parasitoses.

Leia também: Quando o cachorro fica sozinho em casa

Procure guardar em local seguro a carteira de vacina do filhotinho. Algumas doenças (como a leishmaniose) podem obrigar o veterinário a recorrer à eutanásia.

Tenha em mente que, se o cachorrinho estiver com a imunização vencida, ele pode estar sendo exposto a riscos graves.

Até breve!