Dez raças mais burras de cachorro


As raças de cachorro mais burras


Em continuação ao último artigo, baseado nos estudos do pesquisador e treinador americano S. Soren, apresentamos hoje as raças de cachorro mais burras.

A inteligência dos nossos animais de estimação é medida pela capacidade deles em aprender comandos.

De certo modo, talvez o termo que melhor explique isso seja "adestrável". Os animais considerados inteligentes são mais adestráveis do que aqueles considerados burros, no estudo de S. Soren.

Em resumo, são considerados mais inteligentes os cachorros que compreendem com facilidade os treinos de adestramento de cães.

Por exemplo, alguns filhotes de cachorro, desde pequenos, já conseguem identificar os comandos básicos.

Devemos compreender que esse ranking, feito pelo autor do livro A inteligência dos Cachorros, refere-se exclusivamente aos princípios que já comentamos no artigo Dez raças mais inteligentes de cachorro.

Os princípios são estes:

a) Inteligência de cachorro Adaptativa (capacidade de resolver problemas e aprender);

b) Inteligência de cachorro instintiva;

c) Trabalho – inteligência de cachorro de obediência.


Existem cachorros burros?

Os cães se adaptaram para conseguir conviver com o ser humano. Dessa forma, eles aprenderam a interagir com a gente. 

Alguns cães conseguem fazer isso com mais facilidade do que os outros.

Percebe-se que as diretrizes que S. Soren estabeleceu são exclusivamente direcionadas à utilidade dessas raças de cachorro para o homem, ou seja, a capacidade de interagir e obedecer humanos.

É claro que todas as raças cachorros são compostas de animais extremamente inteligentes e que sabem sobreviver em situações difíceis, situações essas que talvez outros animais não conseguiriam. 

Mas o que o pesquisador utilizou como base é a utilidade que determinados cães podem ter para nós. 

Qual o ranking de inteligência dos cães?

Em seu ranking, animais com muita vontade própria, independentes ou teimosos são selecionados como "burros". 

Não exatamente por falta de inteligência, mas pela dificuldade em ensinar-lhes comandos, adestrá-los e colocá-los a nosso trabalho.

Para ele, uma raça de cachorro é considerada inteligente quando necessita de apenas cinco repetições, ou menos, para entender um novo comando.


As 10 raças de cachorros mais burras, segundo S. Sorel:

10) Afghan Hound


O Afghan Hound é considerado um dos mais belos exemplares de cachorro. Principalmente pelo seu exotismo. É, também, uma das raças de cachorro mais antigas. 

O primeiro cão dessa raça desembarcou na Inglaterra em 1907, trazido pelo capitão John Barff.

Em exposição, há dois padrões aceitos de Afghan. 

O do deserto (bell murray), maiores e com pelagem menos exótica, e o das montanhas (ghazni), menores em tamanho e com pelos longos.

Por ser um cachorro ágil e muito rápido, era utilizado na entrega de correspondência, caça à lebre e à gazela e como cão de guarda.

No entanto, sua rapidez lhe rendeu um lugar nas corridas de cachorro, esporte ainda muito praticado nos EUA e Inglaterra. 

Realmente, devido ao corpo bem desenhado, o Afghan é feito para a velocidade.

Criadores dessa raça alertam para seu temperamento obstinado.

Parece ter sempre um objetivo em mente, o que reduz bastante sua capacidade de aprendizagem, pois, a partir de um determinado ponto, simplesmente pode recusar-se a aprender novos comandos.


9) Basenji


A origem do Banseji é a África. 

Esse cãozinho pequeno e com pelagem rala é um tremendo caçador. 

No entanto, sua principal característica, e o que o fez ficar famoso, é o fato de não latir.

O Basenji é o cachorro mais silencioso que existe. Ele não é mudo, e costuma verbalizar sua alegria ou descontentamento. Mas não o faz através de latidos. 

Como característica de seu temperamento, é considerado por especialistas como um cachorro muito independente e de personalidade forte.

Apesar de ser inteligente, não aceita muito bem o adestramento, tornando-se teimoso e irredutível. Como é normalmente autônomo, obedece ao próprio instinto, e geralmente toma suas próprias decisões.

Essa característica é muito desejada em cães de caça, que podem raciocinar em meio à caçada, agindo por iniciativa própria, sem depender das ordens do dono.

No entanto, essa mesma característica o torna um cachorro de difícil treino e muito desobediente, quando resolve não colaborar.

Fisicamente, suas virtudes podem ser descritas como tendo ótimas visão e faro, e uma grande velocidade em campo aberto.


8) Bulldog


O Bulldog é um cachorro bastante conhecido, e muito disseminado no mundo. 

É doce e inteligente, apreciando muito ficar próximo da família. 

Além disso, gosta de brincadeiras e não dispensa um passeio divertido com o dono.

Isso não impede que ele se torne perigosamente agressivo, se acreditar que a família ou o território correm algum perigo. 

Por ser forte, compacto e muito resistente, o Bulldog já foi utilizado em lutas contra touros, em ringues na Inglaterra, durante o século XIII.

Mesmo machucados ou mortalmente feridos, eles insistiam em continuar lutando enquanto o touro ainda se mantivesse em pé, mesmo que perdessem a vida no combate.

Essas batalhas foram proibidas apenas no fim do século XIX. 

A pelagem desse cachorro é curta e fina, apresentando uma densidade notável.

Bulldogs não costumam levar muito a sério o adestramento, que para eles deve ser alguma brincadeira momentânea do dono. 

Apesar disso, quando feito com insistência, o treino o torna capaz de reconhecer alguns comandos básicos.


7) Chow Chow


É também conhecido como Spitz Chinês em alguns países. Hoje é bastante difundido em todo o mundo.

Trata-se de um cachorro de porte nobre e vistoso, indiscutivelmente belo, com um pelo exuberante. 

É também muito versátil, e seus donos o utilizam em vários ofícios. 

Proprietários de um Chow Chow costumam dizer que é um dos cães mais agressivos que existem, quando são utilizados na guarda. 

Com um temperamento pertinaz, é de grande valor na vigilância da família, defendendo a casa e seus ocupantes. 

Outra grande virtude dessa raça é a caça. Dificilmente um Chow Chow erra o alvo, principalmente na perseguição de presas selvagens.

Seu aspecto visual é leonino, e parece orgulhoso de ser visto, prestando-se muito à exibição. É compacto, curto e tem um conjunto bem formado.

Seu peitoral é profundo e amplo, apresentando um dorso conciso, reto e forte. Sua cauda é fixada bem no alto, como bandeira.

A pelagem é lisa e reta, e apresenta um sub-pelo lanoso, equipando-o muito bem para regiões frias.

A teimosia, no entanto, é um grande empecilho ao adestramento, já que um Chow Chow parece ter sempre uma opinião já formada a respeito de tudo.

É necessário muita paciência e calma no seu treino, ao fim do qual é possível ensinar-lhe vários comandos.

6) Borzoi


É uma raça especificamente formatada para a corrida. 

Por ser extremamente veloz, é também um ótimo caçador. 

É ágil, resistente e de grande elegância.

O focinho longo implantado na cabeça forma um conjunto aerodinâmico que o faz lembrar uma flecha. O pelo é longo e sedoso.

Cachorros dessa raça se adaptam bem em sítios ou casas com vastos quintais. Adoram brincar e correr, sendo a velocidade seu principal objetivo.

Um cachorro dinâmico desses consegue adaptar-se a treinos que visem a caça ou a corrida. 

Mas dificilmente aprendem comandos com rapidez, e fazê-lo manter o foco no adestramento é uma tarefa que requer grande disciplina e paciência.

5) Bloodhound 


Essa raça de cão de caça chama a atenção pela beleza do porte. 


É um cão pesado e musculoso, com grandes orelhas. 

O corpo todo é forte, inclusive suas pernas e ombros. 

O Bloodhound apresenta uma excelente estrutura óssea. É afetuoso e sensível, demonstrando grande fidelidade e apego ao dono.

Como temperamento, pode ser definido como um cachorro calmo e tranquilo. 

Sua pelagem é curta, lisa e dura; tem uma capa no dorso que deve ser de coloração mais escura.


A pele da nuca, de várias partes da cabeça, e principalmente sobre a testa e dos lados da cara, é frouxa.

Donos de Bloodhounds o descrevem como um cachorro pouco ativo no dia a dia.

Adora uma soneca, e apresenta pouca ou nenhuma disposição para o treino. 

Esse comportamento muda radicalmente quando envolvido na caça ou em atividades semelhantes, demonstrando grande vigor e resistência.

Por não ser muito fã de passeios pode se adaptar bem em apartamentos e casas com pouco pátio.

4) Pequinês



É reconhecidamente um cachorro valente. 

Pode se tornar agressivo, quando contrariado. 

O pequinês não tem noção do seu tamanho; é independente e sabe muito bem se defender.

Ainda assim, demonstra muito afeto e apego ao dono. Trata-se de uma raça bastante séria, que não aprecia muito as brincadeiras típicas de cachorro.

É cão de pequeno porte, de grandes olhos cristalinos, de cor escura e brilhante, um tanto saltados e redondos. 

As orelhas, em forma de coração, apresentam longas franjas. O pescoço é curto e grosso. Aliás, todo ele é curto, com tórax amplo. A cauda é alta, de posição rígida e curva sobre o dorso. 

O pelo do Pequinês é liso e reto, um pouco maior nos ombros, formando uma espécie de coleira ao redor do pescoço. 

Não é um cão de uma única cor, sendo que os expositores toleram praticamente todas as cores e manchas de pelo. 

Por ser um cão temperamental e opiniático, o Pequinês não aprecia muito o adestramento, necessitando ser conquistado com paciência e carinho. 

3) Mastiff


Trata-se de um grande cão de guarda. 


Acredita-se que seja uma raça tradicionalmente inglesa, apesar de alguns afirmarem que a origem são as ilhas britânicas. 

Descendente do Mastim Tibetano.

É um cachorro feito para o trabalho, que tradicionalmente já foi utilizado em vários ofícios, como na caça, na guerra e na guarda. 

Atualmente é bastante útil na guarda e defesa, pois sabe compreender bastante bem os limites do seu território.

Fisicamente é um cachorro grande, vigoroso e simétrico. É descrito como um cachorro forte, com grande coragem e, ainda assim, bastante dócil. 

Tem um nariz largo, olhos pequenos e afastados e orelhas pequenas. Seu pelo é curto e bastante espesso, um pouco mais grosso nos ombros, no pescoço e no dorso. 

É reconhecidamente um cão amoroso e tranquilo com a família, o que o torna de fácil convívio com outros animais e pessoas. 

No entanto, pode ser muito desconfiado com estranhos, tornando-se terrível e agressivo, caso acredite que a família corre algum perigo.

Não é amigo de adestramentos, abusando da paciência do adestrador. Não consegue se concentrar com facilidade nos comandos novos, tornando a aprendizagem longa e cansativa.

2) Basset Hound



Essa raça de cachorro é relativamente recente. 

Sua origem é a Inglaterra, tendo sido desenvolvida no século XVII. 

Como farejador, é inigualável. Além disso, por ser um cão compacto e alongado, é de grande resistência em caçadas, conseguindo fazer grandes caminhadas. 

É uma das raças mais calmas e amáveis que existem. Dócil, apresenta um temperamento manso e tranquilo, sendo muito apegado ao dono. 

Por ser um cachorro de índole calma, acostuma-se com facilidade a outros animais e pessoas. 

Não é um cão agitado, agressivo ou tímido. Parece estar à vontade em qualquer situação. 

Apesar de desenvolvido especificamente para o trabalho da caça, habitua-se em apartamentos e casas pequenas, pois adora dormir a maior parte do tempo. 

Isso o torna um cachorro de fácil trato, pois necessita de poucos exercícios, como algumas caminhadas leves e brincadeiras. 

Fisicamente apresenta pernas curtas, tendo uma ossatura bem pesada em relação à altura. 

Traz uma pelagem lisa e áspera, que é aderente e densa, capaz de suportar condições climáticas adversas. 

Há uma razoável variedade de cores nessa raça - e todas são aceitas pelos expositores. A pele é frouxa e elástica.

Basset Hounds não gostam de treinos. Aliás, não gostam muito de nada que os obrigue a interromper a soneca. 

O comportamento descrito pelos criadores é de um cachorro que parece não estar ouvindo os comandos. Às vezes parece não conhecer o idioma do dono, tal sua aversão à obediência.


1) Shih Tzu


Em inglês, Shih Tzu significa leão. Registros indicam que chegou à Europa por volta de 1930.

Tal como o Chow Chow, seu aspecto é leonino, uma característica muito apreciada na China.

Fisicamente, pode ser descrito como um cão de olhos escuros, grandes e redondos. As orelhas são caídas, cobertas com uma pelagem abundante.

A cauda é fixada bem no alto, com franjas enroladas no dorso. Seu pelo é longo, abundante, liso e com um sub-pelo muito importante, o que o deixa bem protegido.

É ativo e dócil, demonstrando apego ao dono e zelo à casa. Gosta de estar sempre na companhia do seu proprietário, o que faz dele um cachorro que dificilmente aceita a solidão.

Não presta muita atenção a comandos e adestramento. Não parece compreender a importância do treino, e faz de tudo para deixar clara essa ideia.

Pode se tornar birrento e insistente se contrariado. Além disso, late com insistência, verbalizando dessa forma seu desagrado ou sua afeição.

Qualquer cachorro pode ser adestrado?


Sabe-se que todas as raças de cachorro podem ser adestradas. Algumas, com maior facilidade, outras com menor. 

A técnica que o pesquisador S. Soren aplicou, nesse estudo, é um tanto discutível, pois utiliza critérios arbitrários, ou seja, a utilidade para o ser humano.

Nem todos os cães gostam de aprender truques e comandos. Isso não os transforma em cachorros burros. Mas é necessário estipular critérios ao se iniciar uma abordagem dessas.

Os critérios do pesquisador foram listados lá no início do artigo. Baseando-se neles, foi estabelecido quais as raças que pontuavam menos, sendo, portanto, menos inteligentes.

Última dica:

A melhor forma de cuidarmos do nosso mascote é aprendendo tudo sobre seu comportamento.

Pensando assim, criamos uma Área de Treinamento onde você pode assistir gratuitamente a vídeos exclusivos com truques e macetes práticos.

Cães são muito inteligentes e é preciso que a gente esteja sempre aprendendo novas técnicas para estimular sua criatividade e ensinar os comandos importantes.





OUTROS ARTIGOS