Quando o cachorro fica desconfiado

Quando o cachorro fica desconfiado?


Nossos animais domesticos podem ficar desconfiados, de vez em quando.

Animais de estimação, dependendo da sua personalidade, poderão, ocasionalmente, demonstrar desconfiança com relação ao dono.

Raças de cachorro com personalidade forte podem ser naturalmente mais desconfiadas.


Normalmente filhotes de cachorro já demonstram desde pequenos a índole mais forte ou mais pacífica.

Sendo mais dominantes ou assustadiços, esses animais de estimação podem ficar desconfiados quando algumas situações provocam uma reação inesperada. 


Nessas situações, dependendo do seu porte e força, ele pode agir ameaçadoramente, colocando em risco pessoas próximas, familiares e até estranhos.

Nesses momentos, táticas de adestramento de cães focadas no seu comportamento frente a situações estressantes, são muito úteis.


Por que o cachorro fica desconfiado?

Devemos, em primeiro lugar, ter em mente que o cachorro é um ser vivo.


Sendo assim, todas as raças de cachorro, mesmo aquelas provenientes da mesma ninhada, têm uma personalidade própria.

Isso significa que o animal vai aceitar facilmente algumas situações, e sentir-se ameaçado em outras.

É assim, por exemplo, que um cachorrinho consegue passar tranquilamente pela festa de ano-novo, quando há grande queima de fogos de artifício, mas demonstra pavor de andar de carro ou aceitar afagos de pessoas desconhecidas.

Conhecer as limitações do animal é um grande passo para saber lidar com elas. 

Ao ter consciência, por exemplo, que o cão não vai conseguir socializar com outros cachorros, o dono sabe que não poderá soltá-lo da guia durante o passeio. E assim por diante.

O importante é saber quando e como o cão demonstra sua ansiedade.


Cachorro desconfiado

A demonstração de desconfiança de um cachorro é visível em suas atitudes.

Ao ficar nervoso com uma situação com a qual não esteja à vontade, ele age dessa forma:

1) lambe os lábios com frequência;

2) evita contato visual;

3) procura fugir ou se esconder;

4) em último caso, encara as pessoas ao redor com um olhar ameaçador, de baixo para cima.

Esse comportamento pode ser seguido pelo acovardamento, em algumas circunstâncias. 

Isso é perceptível através de reações como colocar o rabo entre as pernas, para sinalizar que não irá reagir, arfar, como se estivesse com falta de ar, e ganir baixinho.

Outras vezes, ele pode demonstrar exatamente o contrário, rosnando e arrepiando o pelo das costas e pescoço.

Essa é uma última tentativa de intimidar o oponente e evitar uma disputa física.


Como agir com o cachorro desconfiado

A melhor estratégia é tirá-lo rapidamente de qualquer situação estressante. 

Na medida em que isso seja impossível, naquele momento, o principal objetivo deve ser, então, desviar a atenção do animal.

Leia também: A origem do cão doméstico

Biscoitos e outras guloseimas caninas podem ser utilizadas nessa hora.

Brinquedos que ele goste de ter por perto são, também, bastante úteis.

Caso não tenha à mão nenhum desses itens, palavras de ordem, utilizadas no adestramento de cães, podem se revelar eficazes.

Para que elas funcionem, no entanto, o cão deve ter passado por algum treino, de forma a reconhecer as palavras de comando, quando as ouvir.


Cachorros muito desconfiados

Dependendo da fonte de estresse, e o efeito que ela tem sobre o animal, é possível que o cachorro sequer ouça o dono, por estar demasiado alterado. 

Um bom adestramento pode evitar situações assim, fazendo com que as palavras de ordem sejam devidamente obedecidas, independente da situação.


Socialize seu cachorro

A socialização do animal deve começar o mais cedo possível.

Se for filhote, tão logo esteja imunizado através das primeiras vacinas.

No caso de cães adultos adotados ou adquiridos, tão logo já estejam ambientados na nova casa, e ao começarem a confiar no dono.

Esse procedimento reduz sobremaneira as reações negativas do cão quando este é apresentado a novas circunstâncias.

Leia também: Adestrando filhotes

O fato de estar na presença do dono, por sua vez, facilita ao cachorro compreender que está em segurança. Isso requer um vínculo forte entre humano e animal de estimação.


Cães desconfiados - melhor estratégia

Como vimos, a melhor estratégia ao perceber que o cachorro está se sentindo desconfortável, é evitar a situação que o estressa.

No entanto, depois que o dono aprendeu a reconhecer quais as limitações do animal, pode começar a ensiná-lo a superá-las, lentamente.

Esse adestramento, conhecido por utilizar-se de técnicas de dessensibilização, requer paciência e controle sobre o animal.

Punições são proibidas, nessa fase. O encorajamento é a chave para evitar que o cão demonstre medo e desconfiança. 

Repreensões podem agir de forma a fazê-lo temer o dono, o que é ineficaz no treino.


Dessensibilizando o cão

Expondo o cachorro, de forma controlada, às fontes de estresse, na sua companhia, você consegue, aos poucos, diminuir a incidência de crises nervosas.

Estando a seu lado, o animal vai se sentir confiante e protegido.

Leia também: O que fazer para ganhar um cão?

Situações como as descritas antes, como a exposição a fogos de artifício, ou ao passeio de carro, a ida ao veterinário, enfim, todos aqueles momentos difíceis, podem ser vencidas quando o cachorro as enfrenta de forma controlada.


Como dessensibilizar o cachorro

Nas primeiras vezes, ele deve ser retirado de qualquer situação estressante, mas um pouco mais lentamente a cada vez. 

Deve, também, ser elogiado e premiado. Isso o vai convencendo de que o perigo não é tão real assim.

O objetivo é mantê-lo cada vez mais tempo exposto à fonte de estresse, seja o ruído que ele não gosta, ou a presença de pessoas estranhas, ou outros animais.

Ao perceber que seu dono é paciente e lhe transmite confiança, o animal se torna apto a prosseguir no treinamento.

Nem sempre, porém, é possível evitar situações de medo e ansiedade no cachorro. Mas é possível diminuir a incidência dessas crises, e até aumentar a autoconfiança do cão, como visto neste artigo aqui.

Caso se trate de um animal de grande porte e de raça tida como agressiva, alguns cuidados podem ser necessários, como uso de focinheira, equipamentos de proteção, etc.


Concluindo a dessensibilização

Tão logo o cachorro esteja mais confiante, apresente de novo a situação que ele teme. 

Repita o processo inteiro, premiando-o, elogiando-o e o afastando da fonte de estresse.

Nessa fase, a repetição é o fator que irá torná-lo menos susceptível à ansiedade e, por conseguinte, à desconfiança.

Exercícios praticados repetitivamente mantêm o foco do cachorro na obediência, distraindo-o do objetivo real do treino.

Faça-o passar diversas vezes pelo mesmo local ou situação que o aflige, demorando-se apenas o tempo em que ele o tolere, afastando-se logo que o animal demonstrar desconforto.

A melhora é visível alguns dias depois de iniciado o procedimento, e o cachorro se adapta com muita facilidade se sentir a confiança do dono.

Assim, a desconfiança do seu mascote irá diminuir sensivelmente.

O adestramento de cães difíceis e teimosos

Não esqueça de procurar material de qualidade para que seu cachorro tenha saúde e se comporte devidamente.

Invista na educação do seu animal de estimação. Um cachorro comportado e saudável é a melhor companhia que você pode querer.

Neste artigo aqui nós explicamos como os melhores adestradores profissionais conseguem adestrar cães difíceis, teimosos e hostis. 

O segredo desses adestradores é iniciar um programa de adestramento voltado à educação canina, com objetivos claros para o animal.


Cachorros que latem excessivamente

Neste artigo aqui, nós mostramos a você os riscos de ter em casa um cão que late sem parar, provocando problemas com a vizinhança inteira.


Conheça métodos e truques para diminuir esse barulho e pacificar os cachorros mais nervosos.

Até Breve!