Por que o cachorro é o melhor amigo do homem?

O cachorro é o melhor amigo do homem

Todos já devem ter ouvido aquela frase: "o cão é o melhor amigo do homem".

Poucos animais domesticos podem figurar nessa lista.

Em matéria de inteligência, os golfinhos e também os macacos poderiam ocupar esse lugar, além dos cavalos e dos porcos, porque são animais de estimação inteligentes e que aprendem grande variedade de truques. Além disso, são muito úteis.


Mas o cão não é o melhor amigo do homem à toa. Existem muitos motivos para que essa parceria tenha dado certo ao longo dos séculos.

Pensando assim, listamos 3 motivos porque o cachorro é o melhor amigo do homem.

1) Arriscando a própria vida

Um cão zela e defende seu território. Isso significa que não irá tolerar que seu espaço seja invadido. 

Essa atitude existe até mesmo em filhotes. Ainda pequenos eles já sentem a necessidade de proteger seu espaço. Isso pode ser observado em várias raças, significando que o comportamento é universal.

Na verdade, ao se considerar responsável pela segurança da sua família, o cachorro pode até mesmo se colocar em perigo, arriscando a própria vida para preservar a de seus donos.


Cachorro - amor incondicional

Além disso, cães muito dedicados podem deixar de se preocupar com a própria saúde e segurança, caso acreditem que pessoas importantes para ele estejam em risco.

São famosos os casos em que cachorros percorreram grandes distâncias para buscar auxílio, ou enfrentaram animais perigosos, só para salvar seres humanos.

Em uma situação assim, em julho de 2013, na cidade de Nova Andradina, uma cadela da raça Pinscher impediu que um Pit Bull atacasse e ferisse uma criança de 1 ano e 9 meses.

O animal, enfurecido, fugiu de casa e matou um cachorro, antes de invadir o pátio onde a criança brincava. A cadelinha atirou-se na frente da fera, sendo morta e dando tempo para que o tio salvasse a menina.

Como se vê, o animal colocou sua própria segurança em segundo lugar, procurando preservar a vida de um integrante da família.


2) Uma amizade lá na origem

Muitos pesquisadores já aceitam que o cachorro doméstico tem um ancestral em comum com o lobo selvagem.

Há milênios o homem primitivo descobriu as utilidades do animal, e aceitou a convivência com a espécie.

Hoje se acredita que um dos motivos do sucesso da raça humana pode ter sido a interação com o cachorro, que o protegia, alertava dos perigos (muitas vezes arriscando a própria vida) e o ajudava na caça.

O animal que conhecemos hoje, fruto de diversos cruzamentos, é um modelo aperfeiçoado de muitas raças de cachorros, às vezes formatado para atividades específicas.

O que chama a atenção, no entanto, é que, independentemente da raça, o cachorro continua fiel e útil ao homem.

Essa interação entre o homem primitivo e o cão selvagem pode ter sido uma simples estratégia de sobrevivência. 

Porém, através de todo esse tempo, ambos usufruíram do melhor e do pior de cada espécie, ocorrendo assim um estreitamento de laços que fez com que esse relacionamento deixasse de ser por interesse, e passasse a ser por estima.

Nenhum outro animal se comporta com o ser humano como o cachorro. E com nenhuma outra espécie (nem mesmo a própria) o cachorro se comporta como com o homem.


3) Nota 10 em compreensão

Um cão pode chegar a entender até 165 palavras diferentes do nosso vocabulário. Se for um cachorro de uma das raças mais inteligentes, e caso seja treinado para isso, pode chegar a compreender até 250 palavras.

Resultado de imagem para apontando o dedoOutra coisa curiosa: o cachorro pode ser o único animal a compreender um gesto simples do homem, o de apontar com o dedo indicador.

Espécies inteligentes, como os golfinhos e os primatas, não conseguem entender quando apontamos para um objeto. No entanto, esse gesto é assimilado pela maioria dos cães.

O mais surpreendente, porém, é que essa capacidade de compreender não é resultado de treinamento. 


Filhotes de cachorro demonstram já bem cedo que, ao se apontar para algum lugar, o olhar deles deve acompanhar a direção indicada.

Esses estudos foram conduzidos da seguinte forma: caixas foram dispostas com alimento ou brinquedos no seu interior. Cientistas indicavam através de gestos qual a caixa deveria ser escolhida. E na maioria das vezes o animal acertava.

Acredita-se que a simbiose entre as pessoas e os cães seja fruto da parceria contínua a que o animal foi submetido, aliado a sua capacidade mental.


Eles têm a inteligência de uma criança de 2 anos

Cachorros demonstram uma capacidade cognitiva similar à de uma criança de 2 anos de idade, mas com algumas vantagens a seu favor.

Por exemplo, um cachorro consegue compreender que um objeto escondido em uma caixa continua existindo, ao passo que uma criança, nessa idade, acredita que ele tenha desaparecido magicamente.

A compreensão canina vai além, todavia. Nossos animais de estimação não apenas entendem palavras e gestos humanos, mas também conseguem, através da empatia, assimilar as emoções que a pessoa sente no momento.


O cão é o melhor amigo

Algo bastante conhecido é o sentimento que o cão parece carregar consigo, que é o de pertencer incondicionalmente a uma pessoa.

De fato, o animal não parece nunca dar menos do que 100% de toda sua atenção ao dono, dedicando-se ao máximo em qualquer situação.

Como aprendemos em outros artigos, a forma mais fácil de se ensinar e adestrar um cachorro é através de prêmios.

No entanto, tão logo eles aprendam o que deles se espera, eles irão realizar os truques apenas para agradar o dono, não esperando nada em troca além de um afago.

E isso os torna, decididamente, os melhores amigos do homem.