O que fazer com o cachorro no final do ano?

O cão nas férias e no final do ano


Durante a época das férias e do final de ano é comum os noticiários comentarem sobre o grande número de cães e gatos abandonados nos parques das cidades.

Muitos donos não sabem o que fazer com seu animal de estimação, e acreditam que o melhor é soltá-los para que se virem sozinhos, ignorando que podem ser responsabilizados pelo abandono do animal.



O grande problema é que os animais que aprenderam a viver no conforto de uma família, com refeição garantida e protegidos pelos donos, dificilmente conseguem se virar sozinhos.

É fácil sofrerem acidentes, ou serem atacados por outros animais mais agressivos.

Mesmo quando isso não acontece, o cachorro pode, ainda, desenvolver algum tipo de depressão e tristeza, por causa do abandono, o que o leva simplesmente a desistir de viver e de se alimentar.

Ao viajar, leve o cão junto


Cachorros, pelo seu grande apego ao dono, podem acompanhá-lo à maioria dos lugares onde a família escolheu tirar uns dias de folga.

Muitos hotéis hoje em dia aceitam a hospedagem de cães, e já estão adaptados a receberem os principais mascotes das famílias, como gatos e pássaros.

Em geral é cobrada uma tarifa adicional, que deve ser combinada previamente.

Como transportar o cão durante a viagem?


Deve-se levar em conta, também, a forma como o cachorro vai ser transportado. 

Cães maiores podem representar algum problema quando devem ser transportados em ônibus. Isso porque algumas empresas não aceitam cachorros de grande porte durante o percurso.

Já os pequenos devem ser transportados em caixas próprias. 

O proprietário fica obrigado a apresentar atestado de vacinação e saúde atualizados, bem como conduzir o mascote medicado para que não importune os outros passageiros.

Vale lembrar que o dono deve se informar no momento da compra das passagens se aquela empresa aceita transportar seu animalzinho. Nem todas oferecem esse serviço.

Como levar o cachorro no avião


Viagens mais longas exigem o uso do avião. Nesses casos, o dono deve entrar em contato com a empresa responsável pelo trecho e verificar em que condições se dará o transporte do animal.

Geralmente o cãozinho irá ser transportado no compartimento de cargas. 

As empresas costumam fornecer a caixa, de acordo com o tamanho do animal. 

Eventualmente o mascote poderá acompanhar o passageiro, caso seja de pequeno porte. Mas isso é raro.

Tenha em mãos um atestado de saúde fornecido por veterinário com no máximo 3 dias e um certificado de vacinação antirrábica. Esta, deve ter no mínimo 30 dias.

Se for viajar para o exterior, você deve, ainda, obter um Certificado Zoo Sanitário Internacional no Ministério da Agricultura.

Alguns países exigem, também, que o animal cumpra um período de quarentena, outros, que o animal faça um exame sorológico para confirmar se recebeu realmente a vacinação antirrábica (nesse caso, com antecedência mínima de 3 meses).

O importante é obter informações nos consulados dos países para os quais se deseja viajar.

Se o cachorro não viajar junto

Caso não pense em levar o mascote junto nas férias, o dono deve procurar outras opções em mente, como um hotelzinho para cães.

Geralmente cobrada em diárias, a estadia do animal é segura e saudável, caso o seu dono se preocupe antes em observar atentamente as condições em que seu cãozinho vai ficar.

A higiene do local e a atenção que é dispensada ao cachorro podem ser vistas logo no início. 

Deve-se evitar hotéis que não permitam que o dono do cão faça uma pequena vistoria nas instalações. 

Deve-se, também, ficar atento aos animais que já estão hospedados, para verificar se demonstram muito estresse e se estão bem tratados, com água limpa e comida suficiente.

Uma simples visita é capaz de verificar se o cachorrinho vai ficar em segurança ou não.

O cão e as festas de final de ano


Durante as festas de final de ano é comum o cachorro se sentir incomodado com a presença de visitas e com o ruído alto dos fogos.

O comportamento do animal fica alterado, e alguns se tornam agressivos, outros mais tímidos do que o comum.

Como não compreende o que se passa, nem o motivo da alteração da sua rotina, o mascote pode sentir necessidade de ficar próximo do dono o tempo todo.

É por esse motivo que o cão invade a casa, entra no quarto, se esconde debaixo da cama ou da mesa, e se enrosca nas pernas das pessoas, procurando abrigo.

Para situações assim, dê uma olhadinha no nosso artigo Adestramento de Cães - Medo de fogos de artifício, onde damos algumas dicas de como proceder para que o seu cãozinho enfrente melhor essa época do ano.

Treino de dessensibilização


Além disso, é aconselhável que você faça um treino de dessensibilização.

Esse treino pode ser realizado utilizando-se a seguinte técnica:

Exponha seu cachorro às situações que normalmente ele teria medo. Se ele teme o barulho dos fogos de artifício, exponha-o a isso de forma controlada, durante alguns minutos.

A dica é ir aumentando o tempo de exposição assim que ele demonstrar que já está se sentindo confortável com aquele nível de ruído.

Lógico, você não precisará estourar foguetes próximo a ele. Utilize este material aqui. Trata-se de 150 minutos de áudio de fogos de artifício, desde o nível iniciante até a fase avançada.

Mudando lentamente a rotina


De qualquer forma, tenha em mente que toda alteração de rotina deve ser feita de forma gradual e amigável.

Se o cachorro se acostuma lentamente com as mudanças, as chances dele surtar no final do ano serão pequenas.

Da mesma forma, as visitas se adaptarão melhor com o animal se este for apresentado a elas com calma e paciência, aos poucos.

Agindo assim, todos aproveitarão as festividades de forma completa.

Adestrando o cachorro de forma positiva


Treinos de adestramento podem ser bastante eficazes quando se trata de ensinar o cachorro a ter menos medo de barulhos, explosões e festas.

O adestramento positivo ensina o cão como se comportar, e a ter confiança no dono, o que é muito importante durante a fase de estresse das festividades.

Neste material aqui é possível encontrar tudo sobre adestramento positivo.

Até Breve!