Cachorros pequenos para apartamento (Parte II) - 5 raças

Qual a melhor raça de cachorro?


Quando pensamos em cachorros de raça para apartamento, sempre temos em mente o espaço reduzido e as raças menores.

Com efeito, as raças de menor porte se adaptam bem aos espaços mais restritos, e não apenas se sentem à vontade como podem conviver com outros animais e até mesmo crianças.



Nossa intenção neste artigo é apresentar novas raças em complemento ao artigo Cachorros pequenos para apartamento, e que apresentem, naturalmente, um comportamento mais calmo e um temperamento dócil, ideais para conviverem tranquilos em apartamentos menores.

Além do comportamento, é imprescindível que esses animais sejam independentes e consigam passar o dia longe do dono, enquanto este trabalha, sem ficarem latindo insistentemente ou chorando.


Ensinando bons hábitos ao cachorro

Ao adquirir um cachorrinho que vai conviver com você em um apartamento, a melhor atitude é apostar em treinos que diminuam os latidos, uivos e o choro.

Hábitos bons que ajudem o animal a ser mais independente devem ser encorajados, de forma a que ele não fique latindo sem parar quando se encontra sozinho.

Dê uma olhada neste artigo aqui e encontre informações importantes sobre treinos rápidos e dicas para seu cachorro latir menos (ou até parar de latir).


Raças pequenas para apartamento


1) Papillon

Trata-se de uma raça desenvolvida especificamente para a companhia. Por causa disso, a docilidade e a dedicação são seu ponto forte.

O Papillon não desgruda do dono, mas mesmo assim é facilmente treinado a aguardá-lo com paciência, quando este tem que se ausentar para ir ao trabalho ou aos estudos.

Tem um gênio tranquilo e não demonstra naturalmente teimosia ou obstinação. Ao contrário, a convivência é pacífica e ele aceita com facilidade mudanças na sua rotina, desde que estas sejam conduzidas pelo seu dono.

Embora tranquilo, o Papillon é um bom cão de guarda, pela excelente audição e o faro diferenciado.

Seu adestramento não é complicado. O Papillon é considerado uma das raças mais inteligentes de cachorro.

A necessidade de exercícios o faz requerer passeios diários, mas nada muito complexo. Uma simples caminhada para que o animal estique as pernas e interaja com o meio-ambiente, faça suas necessidades e brinque com seus iguais, já é suficiente.

No entanto, por ser um cachorro pequeno e frágil, ele pode ser contra-indicado para famílias com crianças muito pequenas, que ainda não sabem dosar a força nas brincadeiras.

Por ter uma pelagem fina e macia, e pela ausência de sub-pelos, sua higiene é bastante facilitada, bastando, para isso, escovações semanais e banhos quinzenais. A troca de pelo não deve ser um problema, visto não ocorrer de forma intensa.

Essas características fazem do Papillon uma grande dica para apartamentos e outros espaços pequenos.

2) Chow-Chow

O Chow-Chow não é exatamente uma raça pequena. Trata-se de um cachorro de porte médio e que pode ser considerado um cão espaçoso, por sua característica de se sentir à vontade em qualquer ambiente.

Muitos o comparam aos gatos, pois há algo de felino nessa raça.

Cães silenciosos, que dificilmente latem e, quando o fazem, nunca é à toa, o Chow-Chow é um excelente cão de guarda.

Por ser muito territorialista, não aceita com bons olhos visitas em casa, e deve ser adestrado desde cedo à obediência, para que consinta na presença de estranhos e outros animais na sua área.

Mas o Chow-Chow merece figurar nesta lista. Suas características são ótimas na convivência em apartamentos e áreas pequenas.

Por ser um cachorro que não requer atividade física constante, ele não irá precisar de muitos passeios diários. E, nestes, uma caminhada é suficiente para que ele faça seus exercícios, suas necessidades e interaja um pouco.

Aliás, a raça não suporta grandes atividades, principalmente em dias muito quentes.

Outra grande vantagem do cachorro é seu silêncio. Ele não gosta de verbalizar suas vontades, daí só latir em casos extremos.

Ainda, por se tratar de uma raça independente, a ausência prolongada do dono não irá ser um grande problema.

A pelagem longa e espessa requer cuidados constantes, mas o Chow-Chow não libera muitos pelos, a não ser na época da troca, quando ocorre uma grande queda na pelagem.

Entre os cuidados, escovações frequentes com escovas de cerdas duras. Os banhos não devem ser muito frequentes, pois a oleosidade natural deve ser preservada. A secagem é obrigatória, e irá evitar a proliferação de fungos ou alergias.

O Chow-Chow deve ser treinado para obedecer desde filhote, pois é um cachorro de temperamento difícil e grandemente teimoso. Não é considerada uma das raças mais inteligentes no quesito adestramento, principalmente pelo temperamento complicado, que o faz obedecer apenas quando quer.

Seu treino deve ter como objetivo habituá-lo a pessoas estranhas e socializá-lo com relação a visitas e outros animais. A raça elege um único dono, geralmente, e irá obedecer apenas a ele.

3) Pinscher

Normalmente lembrado como um cachorro "neurótico" e "latidor", o Pinscher é uma das raças que recomendamos para apartamentos e espaços pequenos.

Pelo porte, pode ser levado para qualquer lugar, e mesmo em viagens longas, ou internacionais, seu transporte é mais facilitado do que o de raças maiores.

Sua pelagem é curta, lisa e dura, e não requer grandes cuidados, além de escovações eventuais e banhos quando estiver muito sujo.

O temperamento é forte, e isso se explica pelo histórico de seu cruzamento, que, acredita-se, pode ter o Dobermann incluído, entre outras raças.

O Pinscher é considerado um cão de guarda pela Federação Cinológica Internacional. Ele está incluído no Grupo 2, juntamente com o Rottweiler, Mastiff, Boxer e Dogue Alemão.

Extremamente dedicado ao dono, geralmente o cão escolhe apenas uma pessoa da casa para obedecer. Nesse caso, é muito importante que o adestramento ocorra de forma criteriosa.

Muitos donos que reclamam do barulho do cachorrinho, na verdade não souberam treiná-lo quando pequeno. Por ser de porte minúsculo, o Pinscher é muito engraçado quando rosna e late ainda filhote. Por isso, os donos incentivam esse comportamento, que irá se repetir na idade adulta.

Reverter essa situação em um animal mais velho é bastante complicado. Se o cachorro cresceu sendo incentivado a latir, mudar seu comportamento é um desafio.

Dê uma olhadinha neste artigo aqui e encontre algumas dicas poderosas de como ensiná-lo a latir menos.

Nossa recomendação do Pinscher como uma das raças ideais para apartamento leva em consideração um bom adestramento, e a educação necessária para que se torne um cachorro obediente.

O apego ao dono pode ser um problema em situações em que este deva se ausentar por longos períodos. Nesse sentido, treiná-lo a ser independente, e a ficar sozinho em casa, é algo essencial.

Por ser um cão frágil e, ao mesmo tempo, destemido, deve-se ensinar as crianças da casa a brincar com ele de forma cuidadosa, pois ao se sentir agredido o Pinscher pode revidar com força.

Não é considerado um dos cachorros mais inteligentes ao adestramento. Por serem "opiniáticos" e um tanto teimosos, cães dessa raça requerem um pouco mais de dedicação ao serem adestrados.

4) Lulu da Pomerânia

Outra raça considerada muito barulhenta, o Lulu sofre com uma fama injusta.

Normalmente o cachorro saudável e bem treinado late apenas quando percebe algo diferente na sua rotina, como pessoas e animais estranhos no seu território, ou para chamar a atenção do dono.

O Lulu é um excelente cão de companhia, e vem se transformando em verdadeira febre, principalmente pelo tamanho diminuto.

Na verdade, o Lulu da Pomerânia é o Spitz Alemão, e pode ser encontrado em 5 tamanhos diferentes. A espécie menor e mais peluda, que se assemelha a um bicho de pelúcia, é a preferida.

Trata-se de um cachorro muito ativo e sociável. Se bem educado, é uma criatura dócil e companheira, e pode ser levado praticamente a qualquer lugar.

Em apartamentos, sua existência é bem aceita. Como dito acima, os latidos excessivos geralmente são resultado da falta de adestramento consciente e muitas vezes a boa socialização com pessoas e animais estranhos pode evitar a vocalização em excesso.

O Lulu não requer atividades muito complexas. Na verdade, devido ao porte frágil, as atividades indicadas são de caráter mais ameno, como caminhadas não muito longas, passeios e brincadeiras que não exijam muita força e resistência.

Seu pelo é duplo, escondendo abaixo da pelagem abundante um sub-pelo mais curto. Escovações frequentes são obrigatórias, para evitar a existência de nós e mau-cheiro.

Sendo uma das raças ideais para apartamento, o Lulu troca de pelos apenas uma vez ao ano, significando que não perde pelos pela casa durante o restante do tempo.

Não é considerado uma raça inteligente ao adestramento, mas excetuando-se a boa educação para a obediência e sendo desestimulado a latir em excesso ainda quando filhote, não é essencialmente necessário outro tipo de treino.

5) Vira-latas

Pode parecer estranho incluir em um artigo sobre cães de raça, o cachorro Vira-latas. Na verdade, essa espécie é considerada um cachorro 100% nacional.

Quando se pensa em cães que possam viver em apartamentos e se transformem em companheiros leais, devemos incluir, obrigatoriamente, o Vira-latas.

Talvez nenhum outro cachorro demonstre tanto apego e fidelidade quanto aquele retirado das ruas, ou de uma situação de abandono.

Várias ONG's têm se dedicado a fortalecer a ideia de que a adoção de um cãozinho é um ato muito mais humano do que a compra de um exemplar com pedigree.

Dê uma olhada neste artigo: ONG's para animais.

Existem muitos cachorrinhos abandonados que poderiam facilmente se habituar a qualquer tipo de lar, e ao mesmo tempo se dedicariam totalmente aos seus donos.

Como raça, o Vira-latas pode ser carinhoso e afetivo, sem deixar de ser um cão de guarda e de alerta. Na verdade, muitas histórias são contadas a respeito da dedicação irrestrita desses cães, que chegaram a salvar os próprios donos.

Mesmo em situação de rua, encontramos exemplares que se dedicam ao máximo a seus companheiros humanos, que também vivem na mesma situação. E ainda assim são inseparáveis.

Na adoção do cachorro de rua, no entanto, algumas atitudes importantes devem ser seguidas, para evitar futuros incômodos. Dê uma olhadinha neste artigo: Adoção de cães - 10 dicas.

Deve-se levar em conta que exemplares de cães de rua geralmente são mais resistentes às doenças, pois sua sobrevivência ocorreu em virtude de uma seleção natural.

Como dito no artigo Cachorros Vira-latas, cachorros SRD são generalistas, isto é, não possuem uma única especialidade, como os cães geneticamente moldados.

E essa característica pode ser bastante desejável, quando se quer um cão resistente, esperto e carinhoso.

O adestramento de cães difíceis e teimosos

Não esqueça de procurar material de qualidade para que seu cachorro tenha saúde e se comporte devidamente.

Invista na educação do seu animal de estimação. Um cachorro comportado e saudável é a melhor companhia que você pode querer.

Neste artigo aqui nós explicamos como os melhores adestradores profissionais conseguem adestrar cães difíceis, teimosos e hostis. 

O segredo desses adestradores é iniciar um programa de adestramento voltado à educação canina, com objetivos claros para o animal.


Cachorros que latem excessivamente

Neste artigo aqui, nós mostramos a você os riscos de ter em casa um cão que late sem parar, provocando problemas com a vizinhança inteira.


Conheça métodos e truques para diminuir esse barulho e pacificar os cachorros mais nervosos.

Até Breve!